Para além do discurso da inclusão, uma atitude inclusiva!

21 Setembro, 2021

O projeto Memórias do Bairro, inspirado nas “Cidades Amigas das Pessoas com Demência” nasce da vontade de, sob a premissa “a pessoa primeiro, a demência depois”, contribuir para a transformação da comunidade de Esposende, numa comunidade que integre as pessoas com demência, as respeite, promova os seus direitos e onde elas se sintam ouvidas, compreendidas e apoiadas.

Fruto de uma parceria entre a HOPE! Respostas Sociais, a Associação Alzheimer Portugal e o Município de Esposende, o projeto Memórias do Bairro, com a duração de aproximadamente um ano, pretende promover a participação ativa das pessoas com demência na comunidade, através do seu envolvimento e dos/a seus/suas cuidadores/as na construção das respostas e serviços que lhes promovam uma melhor qualidade de vida. Pretende, também, promover a consciencialização da comunidade para as necessidades específicas das pessoas com demência e a literacia em saúde das pessoas com demência e dos/as seus/suas cuidadores/as e familiares e ainda, na construção de uma rede de serviços e respostas diversificadas cada vez mais especializadas às pessoas com demência e seus/suas cuidadores/as.

Orientadas para a concretização destes objetivos, as atividades do projeto Memórias do Bairro são diversificadas e dirigidas a diferentes públicos. O ponto de partida será a construção, de forma colaborativa e na primeira pessoa, de uma CARTA ABERTA À COMUNIDADE, que reflita, agregue e enumere aspetos que as pessoas com demência considerem essenciais para a sua qualidade de vida. Com base nestes pressupostos, serão criados GUIAS ESPECÍFICOS e dinamizadas AÇÕES DE CONSCIENCIALIZAÇÃO dirigias a setores chave da comunidade, capazes de influenciar outras pessoas, serviços e organizações a serem mais amigos das pessoas com demência e assim, em conjunto, contribuirmos para uma comunidade mais acessível e inclusiva para todas as pessoas.

A par das ações de reflexão e consciencialização, será criado o coro A CANTAR DE COR, constituído por pessoas com demência e suas famílias, onde, através de laboratórios artísticos e de uma inovadora forma de apoio comunitário, estruturada, segura e não formal, se pretende aproximar as pessoas através da música e de momentos felizes, utilizando-os como convite à partilha de emoções e de estratégias, de interação social e de reforço da sua confiança na sua capacidade de contribuir ativamente para a sua comunidade.